Polêmica na Av. Celso Garcia: pedestres e passageiros de ônibus X CET

Polêmica na Av. Celso Garcia: pedestres e passageiros de ônibus X CET

“A CET não tem a gerência do mal… Faremos sempre o que for tecnicamente recomendável”.

A frase é de João Octaviano Machado Neto, secretário municipal de Mobilidade e Transportes , durante reunião de trabalho, nesta quarta-feira (15), da Comissão de Transportes da Câmara Municipal de São Paulo que discutiu a mudança de fluxo na avenida Celso Garcia.

O debate foi sugerido por meio de requerimento do vereador Amauri Silva (PSC) que recebeu inúmeras queixas de moradores da região que estão enfrentando sérias dificuldades. Os pedestres estão preocupados com a rapidez dos semáforos para atravessar e os passageiros de ônibus reclamam do tempo que perdem no transporte público.

No último dia 21 de julho, um trecho de 6,7 km entre o Largo da Concórdia e a avenida Airton Pretini deixou de ter o contrafluxo de ônibus com a liberação de veículos no sentido bairro/centro.

De lá para cá, as reclamações só aumentam… São e-mails e redes sociais repletas de queixas, principalmente, sobre atrasos de até uma hora nas linhas de ônibus. No entender dos usuários, as mudanças determinadas pela Companhia de Engenharia de Tráfego – CET –  são a causa dos congestionamentos, principalmente, nos horários de pico.

Para o vereador Amauri, é preciso buscar, rapidamente, uma solução para o problema. “Uma das vias mais importantes da capital paulista não pode causar tantos transtornos com os trabalhadores perdendo uma hora por sentido e obrigados a sair mais cedo de casa para o trabalho e, na volta, chegar uma hora mais tarde que o habitual”, afirma o parlamentar ao destacar que “nesta reunião que sugeri, por requerimento, a ideia foi buscar respostas das autoridades e cobrar medidas urgentes”.

O vereador salientou, ainda, que quanto aos semáforos “é preciso que se respeite os vulneráveis (idosos e pessoas com mobilidade reduzida, por exemplo) que precisam ter um tempo maior para atravessar”.

O vereador fez as afirmações no que viu in loco na avenida Celso Garcia e baseado em pesquisa realizada pelo pessoal do gabinete que apontou a insatisfação dos moradores, comerciantes, trabalhadores da região. “Foram ouvidas mais de trezentas pessoas e a grande maioria desaprova as modificações feitas na Celso Garcia e entorno”, afirmou o vereador ao frisar que “as mudanças foram feitas sem ouvir a população que viu-se surpreendida, de um dia para outro, com placas informando as mudanças”.

Ao término da reunião – que contou também com a participação do Sr. Milton Persoli, presidente da CET e os vereadores da Comissão de Transportes,  ficou acertado que o caso será estudado e reavaliado tecnicamente.

Para o líder do PSC, vereador Amauri, “uma solução que atenda às demandas da população é o que se busca”. O parlamentar garante que “vamos estar atentos e cobrando porque esse é o nosso papel junto aos cidadãos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *