GCM: Regulamento Disciplinar precisa ser modernizado

GCM: Regulamento Disciplinar precisa ser modernizado

Modernizar o Regulamento Disciplinar é simplificar e atender demandas antigas da corporação.

O RD tem mais de quinze anos e, evidentemente, precisa de modificações que vão ao encontro da corporação.

“Atualmente, o Regulamento tem distorções como, por exemplo, a proporção de penalidades aplicadas aos guardas que cometem infrações”, afirmou o vereador Amauri Silva, relator da subcomissão de estudos que trata do regulamento Disciplinar da Guarda Civil Metropolitana – São Paulo.

Segundo o parlamentar – que presidiu, nesta 5ª feira (29) audiência pública discutindo o assunto – “as audiências públicas tornam possível o diálogo e a transparência onde todas as partes envolvidas podem expor suas dúvidas, reivindicações e propostas”.

Para o inspetor superintendente Marco Antonio, que falou em nome do Comando Geral da GCM, “as adequações são necessárias e o comando está apto a ouvir todas as sugestões de agremiações, sindicato e entidades ligadas à guarda”.

“Construir, em conjunto, é um novo e positivo modo de trabalho”, afirmou Vicente Novellino, corregedor geral da GCM/SP, ao salientar que “a corregedoria tem por meta trabalhar sempre com justiça”. No entender de Novellino, “é bom que se modernize o Regulamento que é um instrumento importante que, ao contrário do que podem pensar, protege muito mais que pune o guarda civil”. Novellino reconheceu, no entanto, a importância de que haja um reestudo do Regulamento.

Para o presidente do SindGuardas-SP (Sindicato dos Guardas Civis Metropolitanos de São Paulo), Clóvis Roberto Pereira, é necessário rever o regulamento para analisar punições que podem ser flexibilizadas. “Na tipificação das infrações, temos sete consideradas leves, 21 médias e 44 graves. O risco de um ato ser considerado grave é muito grande. Se o guarda esquecer sua tarjeta de identificação, por exemplo, é considerada infração grave, que pode culminar na sua demissão”, afirmou Pereira.

Entre os presentes, também participaram da audiência pública os inspetores Edson Faria (ABRA Guardas) e inspetor superintendente Eliazer Rodella (AAPOL).

Albúm completo: https://bit.ly/2RoaOYm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *